quinta-feira, 14 de julho de 2011

Mestre de Cerimônias lança projeto audiovisual e literário, que busca na arte a vocação para a resistência e a consciência universal

Por: Lu Matsu
Fonte: http://caminhodezion.blogspot.com/




Monge inicia sua trajetória no Hip Hop no ano 2000, através do graffiti, na cidade de Belo Horizonte. Pela extinta N.O.T. Crew, os muros da cidade conheceram mais que tags e cores, mas também o “despertar” do escritor de rua que mais tarde se tornou MC.

Em 2003, formou o grupo Saga Contínua em parceria com os MCs Dmorô e Tocha. Tornou-se conhecido do público local ao se apresentar em eventos de Hip Hop com o grupo. Em 2004, seria um dos criadores da Conspiração Subterrânea Crew, coletivo que agregava bboys, graffiteiros, djs e mcs e cujo o foco era trabalhar estes elementos em suas formas originais e devolvê-los à paisagem urbana.

Em 2005 ingressou no Coletivo Hip Hop Chama, que se propôs a ser um espaço de formação, mobilização juvenil, intervenção social e comunitária. Nesse contexto, destaca-se na execução do Projeto Hip Hop Chama na Idéia, no qual se discutiu temas como redução de danos, gênero e sexualidade.

No ano de 2007, ajudou a constituir o Coletivo Família de Rua (FDR), organizador dos eventos Duelo de MCs e Game of Skate, que acontecem embaixo do Viaduto de Santa Tereza, há pouco mais de três anos.

Paralelamente às atividades desenvolvidas com a FDR, Monge ainda integra o grupo A Corte, acompanhado por Eduardo DW, Lauana Nara e Poliane Honorato, desde 2010 e que esteve na edição 2011 do evento Palco Hip Hop, abrindo o show de MV Bill.

Em janeiro de 2011, Monge apresentou uma edição especial do Duelo de MCs no Grande Teatro do Palácio das Artes, como parte da programação do Verão Arte Contemporânea. Outro momento em que sua atuação como Mestre de Cerimônias merece ser destacada, foi em abril, na Festa de Lançamento do Coletivo Bambata – primeiro de Hip Hop a integrar o circuito Fora do Eixo – do qual é colaborador.

Monge dedica-se este ano a múltiplos projetos como o da gravação do CD da Corte, pela ONG Favela É Isso Aí, lançamento do CD e DVD O Som que Vem das Ruas, pela Família de Rua e a produção de seu projeto solo intitulado CaminhoDeZion, que vai da literatura ao audiovisual.

O CaminhoDeZion representa a busca de alcançar o ponto espiritual do qual emerge a realidade, transversalmente a arte enquanto forma de resistência, utilizando como canal o “despertar” propiciado pelo contato com o Hip Hop e suas referências de técnicas, posturas e saberes.


O primeiro single do projeto, Olhos Da Babilônia, foi produzido por CoyoteBeatz, gravado e masterizado no Estúdio Giffoni / Casa Antiga.

0 comentários:

Postar um comentário